Entregou a declaração do Imposto de Renda com erros? Veja o que fazer


As chances de entregar a declaração do Imposto de Renda com erros aumentam conforme se aproxima o prazo de entrega à Receita, que este ano será no dia 30 de abril.

O contribuinte que informar valores incorretos de seus rendimentos, deixar dados em branco ou erros de digitação corre o risco de cair na malha fina da Receita Federal – e terá que prestar esclarecimentos ao Fisco. Isso é comum com quem foi pego de surpresa com a falta de documentos e de outras informações.

Como retificar os dados incorretos
A boa notícia é que é possível corrigir os erros na declaração a qualquer momento, mesmo após a entrega. O recurso disponível é a declaração retificadora, explica a gerente sênior de global mobility services e imposto renda para pessoas físicas da Grant Thornton Brasil.

Quem entregou a declaração incompleta, com erros ou até em branco – até isso é possível – ainda pode corrigir as inconsistências. Para isso, basta acessar o mesmo programa da Receita Federal e responder “Sim” à pergunta “Esta declaração é retificadora?”, no momento do envio do documento.

Para retificar, é preciso ter em mãos o número do recibo da declaração original. O prazo para fazer a retificação é de cinco anos, mas é importante que o contribuinte faça isso o quanto antes, para não correr o risco de cair na malha fina. Não há cobrança para fazer isso.

Quanto antes, melhor
Quando a declaração tem indícios de inconsistências que possam levar a penalidades, a Receita costuma enviar notificações aos contribuintes para que corrijam os erros.

“Caso o contribuinte identifique erros dentro do prazo de entrega, é possível, inclusive, alterar o modelo da declaração, de simplificada para completo e vice-versa, se o erro impactar no resultado apurado”, afirma Tamara.

Segundo a especialista, mesmo depois do prazo, a declaração pode ser retificada e corrigida do que se faz necessário, porém sem alterar o modelo. “Essa é a única questão a ser analisada no momento da retificação”. Não há multa ou cobrança para isso.

Qual a punição para quem não corrigir os erros?
Quem perder o prazo da entrega da declaração este ano pagará multa mínima à Receita de R$ 165,74. A multa para quem entregar o documento com erros é limitada a 20% do imposto devido. O pagamento da multa é a punição máxima para quem corrigiu o erro.

Caso o contribuinte tenha sido notificado pela Receita pelo e-CAC ou por correspondência, mas não fez nada a respeito, a Receita o convocará para prestar esclarecimentos e, se o erro for comprovado, a multa será de 75% sobre o imposto devido, corrigida pela variação da Selic.

Erros em comprovantes
Ao preencher o documento, se o contribuinte perceber que houve algum erro nos comprovantes fornecidos pelas fontes pagadoras – como os salários que não foram pagos ou rendimentos isentos informados como tributáveis –, deve pedir um novo informe com as devidas correções.

Se a fonte pagadora não fornecer um novo informe a tempo, o declarante deve usar seus próprios comprovantes mensais. A fonte pagadora que não cumpriu com sua obrigação será multada em R$ 41,43 por cada informe que deixou de entregar.

A Receita Federal também aplica uma multa de 300% sobre o valor declarado indevidamente com o objetivo de reduzir o imposto sobre a renda, sem contar possíveis penalidades administrativas ou criminais, como sonegação.

Fonte: G1 Globo | 25/04/2019

Moedas - 12/12/2019 16:46:29
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,091
  • 4,093
  • Paralelo
  • 4,090
  • 4,320
  • Turismo
  • 4,080
  • 4,320
  • Euro
  • 4,545
  • 4,548
  • Iene
  • 0,037
  • 0,037
  • Franco
  • 4,147
  • 4,150
  • Libra
  • 5,361
  • 5,365
  • Ouro
  • 194,540
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
  • 13/Dezembro/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
  • EFD Contribuições.
  • CIDE | Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças.
  • Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais (EFD-Reinf)
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos (DCTFWeb)

Busca de endereço na internet